sexta-feira, 5 de junho de 2009

Meu Devaneio

Sentada nessa mesa te enxergo. Na verdade só me sentei aqui para poder te ver. Olho fixamente para as suas costas, é, você está de costas para mim. Ri, conversa e bebe uma cerveja com seus amigos, você parece feliz. Até sabe que estou aqui, sei que me viu apesar de ter fingido que não.
Tenho amigas a minha volta, conversam sobre algum assunto que não me é interessante, algum assunto que não acompanho.
Tombo a cabeça para trás, meus olhos se fecham e minha mente começa a divagar.
Não mais vejo suas costas, não estou mais no bar, não ouço mais a voz de minhas amigas, o barulho dos copos ou o cheiro nauseante do cigarro. Me vejo sentada em um banco, um banco num jardim florido, bonito.
Estou com uma saia rodada, uma blusa floral trespassada, sapatilha rosa nos pés e uma flor me prende os cabelos.
Não sei o que faço ali, mas me deixo ficar sentada olhando ao redor, esperando algo acontecer.
Sinto-o chegando, percebo seus passos, sei que é você, esse barulho, esse modo de andar, esses passos. Só pode ser você. Sinto seus braços me abraçando, seu queixo roçando meu pescoço, a barba por fazer me arranhando. Sinto-me envolvida por seus braços, viro a cabeça, vejo sues olhos brilhando, seu sorriso. Sorrio, sinto meu coração se acelerar, a respiração ofegante, percebo meus lábios se entreabrindo, se aproximando, úmidos de desejo.
O beijo nos envolve, nos aquece, nos excita. Estamos entregues um ao outro.
Abro os olhos. As meninas ainda conversam, sobre a novela? Maquiagem? Outros caras? Não sei.
A mesa em minha frente está agora vazia, você se foi e eu nem ao menos pude me despedir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário